ciclovivo logoO Centro de Pesquisa e Desenvolvimento de Catalisadores Automotivos da Umicore, em Hanau, Alemanha, desenvolveu uma tecnologia capaz de tratar até 95% das partículas dos motores a gasolina. A ideia é eliminar as partículas de fuligem (carbono) emitidas pelos automóveis.

Milton Jung (http://www.flickr.com/photos/cbnsp/)

Milton Jung (http://www.flickr.com/photos/cbnsp/)

Ozônio e poluição gerada por veículos são os principais causadores da poluição em São Paulo

A tecnologia chama-se Filtro de Partículas para Gasolina (GPF) e além de diminuir a quantidade de partículas nocivas ainda melhora a eficiência no consumo da gasolina.

O objetivo é fazer com que as montadoras consigam atender à nova legislação de emissão de poluentes, Euro 6, para veículos de passeio que é mais rígida. A legislação entrará em vigor no Brasil apenas em 2016.

Poluição em São Paulo

Segundo pesquisa do Laboratório de Poluição Atmosférica de São Paulo, de 2009, a poluição mata quase 20 pessoas por dia na região metropolitana de São Paulo.

Baseado em parâmetros da Organização Mundial da Saúde, uma pessoa tem 10,9% de chance de morrer de doença cardiorrespiratória na Grande São Paulo. Se não houvesse a emissão dos veículos automotores, a chance seria de 2,4%.

Em 2009, cerca de 7.187 pessoas com mais de 40 anos morriam por ano. As causas eram doenças agravadas pela poluição, como infarto, acidente vascular cerebral, pneumonia, asma e câncer de pulmão.

Segundo dados do SUS de 2008, cerca de 13,1 mil internações por ano no SUS era ligadas indiretamente à poluição, gerando gastos de R$ 334 milhôes.

Em 2008, São Paulo atingiu a marca de 6 milhões de veículos. Em 2013, já são 7,1 milhões de carros na cidade.

Fonte Catracalivre