O Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai) e o Serviço Social da Indústria (Sesi) se preparam para lançar o Edital Senai Sesi Inovação 2011. A previsão é que a chamada saia em 15 de março. As empresas terão até maio para negociarem projetos de inovação tecnológica com as unidades estaduais das duas instituições, responsáveis por apresentar, em parceria, a proposta para a comissão avaliadora nacional. A boa notícia este ano é o considerável acréscimo no orçamento, que pulou de R$ 15 milhões para R$ 26 milhões, com a expectativa de movimentar o total de R$ 50 milhões, juntando recursos do Senai, Sesi, bolsas do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) e contrapartidas das empresas e das unidades estaduais.

"O aumento dos recursos em 2011 reflete os resultados já obtidos pelo edital. O Senai e o Sesi percebem os impactos econômicos dos projetos, mesmo com o orçamento limitado, se comparado com o de outros programas", conta Alysson Andrade Amorim, analista de desenvolvimento industrial do Senai Nacional. O órgão dobrou sua participação, chegando a R$ 16 milhões. O objetivo de disponibilizar mais recursos consiste tanto em ampliar o número de empresas atendidas – que deve chegar a 90 – quanto o aporte por projeto.

Por isso, o teto das propostas passará de R$ 200 mil para R$ 300 mil, sem valor mínimo, o que favorece as micro e pequenas empresas. No caso de projetos apresentados por Senai juntamente com Sesi, o limite máximo será de R$ 400 mil. A contrapartida mínima das empresas e de cada unidade regional equivalerá a 5% do valor total do projeto e quanto maior forem as contrapartidas, maior serão os pontos na avaliação.

De olho no mercado

A cada edição, o Senai busca inserir no processo do edital normas ou procedimentos que visem garantir a entrada da inovação no mercado. Agora, o sistema interno informatizado usado pelas unidades regionais para a submissão de projetos terá planilhas com campos específicos que tornam obrigatório o fornecimento de informações como especificações técnicas, análise de custeio, fluxo de caixa e precificação. O método ajudará os técnicos a avaliarem a real viabilidade econômica da proposta.

Para que as equipes estejam bem preparadas para divulgar o edital e receberem as empresas, será oferecido um workshop nos dias 23 e 24 fevereiro, em Brasília, para os representantes do Senai e do Sesi de cada estado. Eles terão a função de coordenar a chamada regionalmente, sendo, inclusive, os profissionais de atendimento às empresas. A lista com os contatos dos representantes será divulgada na chamada.

A parceria entre unidade regional – que presta consultoria e apoio tecnológico durante todo o projeto – e empresa é o fator de sucesso do Edital Senai Sesi Inovação. Os projetos também contam com suporte de bolsistas do CNPq, que contribuem com a experiência acadêmica.

Segundo estudo feito em 2010 pela Sociedade Brasileira Pró-Inovação Tecnológica (PROTEC) em 15 estados brasileiros, 33% das companhias que criaram projeto para o edital com base em demanda de mercado conseguiram obter sucesso comercial com produtos ou processos. O índice cresce para 57% quando as empresas apresentam plano de negócios. "O apoio técnico regional oferecido às empresas é um diferencial deste edital, ajudando na melhoria de produtos e processos, ou na criação de novas metodologias, no caso da inovação social priorizada pelo Sesi", conta Amorim.

Como o desenvolvimento é acompanhado pelos técnicos, as instituições constantemente têm insumos para melhorar a chamada a cada ano. Além disso, a comissão avaliadora informa a pontuação e os motivos da não aprovação, quando é o caso. "Acontece de projetos não serem aprovados em um ano, mas no seguinte eles são aperfeiçoados e passam", afirma.

Acompanhe as novidades sobre o Edital Senai Sesi de Inovação 2011 no site do Senai Nacional: www.senai.br.

(Fonte: Natália Calandrini para Notícias Protec – 10/02/2011)