Estou no MIT aqui nos EUA participando de um evento de Memes da Internet (ROFLcon) e além de toda a infraestrutura e de um wifi free maravilhoso, uma coisa me chamou muito a atenção e achei que valia a pena a provocação: a academia aqui nos EUA (já participei de outros eventos na academia por aqui, não é porque estou no MIT), muito ao contrário do que acontece no Brasil, está à frente do resto do mundo e das pessoas.

O evento é todo organizado por alunos, o MIT dá toda infra, algumas empresas patrocinam e a mais pura inovação passa a fluir dentro da universidade de uma maneira contagiante e impressionante.

Aqui se fala do novo e do que vai acontecer. Não se tenta explicar o velho e encontrar explicações para o que já foi.

E isso certamente contamina as pessoas, os estudantes e o país.

Tenho participado em muitos eventos na academia brasileira e, excessões à parte (elas sempre existem, claro, mas são excessões mesmo) o que vejo é justamente o contrário! Um mundo à parte, preconceituoso, antiquado e onde muito raramente se vê inovação, pensamento fora da caixa, vanguarda e criatividade.

No ROFLcon é o oposto. O que está acontecendo aqui é que a maioria das pessoas “normais”, como já foi dito aqui, sequer sabe do que trata. E tudo isso em um ambiente solto, criativo, repleto de jovens alunos, loucos para mudar o mundo.

Se eles têm isso como alunos, imagina o que farão como profissionais? Hum?

bob3x4Bob Wollheim é empreendedor e publisher da ResultsON